Com fr. Jad na enfermaria da Custódia, a serviço dos freis idosos

With Fr Jad in the Custody infirmary, serving the elderly friars
With Fr Jad in the Custody infirmary, serving the elderly friars

A enfermaria da Custódia da Terra Santa se encontra no segundo andar do convento de São Salvador, em Jerusalém: é um lugar aparte, mas que está bem no coração da comunidade, quase encerrada nela, como uma concha, protegendo e cuidando dos freis mais frágeis e idosos da Custódia, aqueles que necessitam de maior assistência e cuidado médicos.

Do pátio vê-se na esquina a data de 1955: este é o ano no qual a enfermaria, tal como se apresenta atualmente, foi construída.

Fr. Jad Sara é o responsável pela enfermaria da Custódia. Originário de Jerusalém, cumpre esta missão há quase 17 anos: “Foi o nosso fundador são Francisco a nos recordar nosso dever de cuidar de nossos irmãos enfermos – conta Fr. Jad -. Por isso sempre tivemos no coração a assistência aos idosos. Já no século XVI, em Jerusalém, existiam a farmácia e a enfermaria: mas a instalação atual, como se lê na data que se vê aqui no segundo andar, é de 1955, graças à vontade de um Custódio que foi particularmente sensível à questão dos idosos enfermos, e que se esforçou para que fosse possível encontrar um alojamento na casa mãe, no interior da comunidade de São Salvador, para permitir-lhes de serem visitados por todos os freis.

Quando eu cheguei aqui, há mais de 16 anos, desde o início insisti muito para que estas instalações fossem reestruturadas. E assim, graças também ao Custódio de então, o atual Patriarca de Jerusalém dos Latinos (D. Pierbattista Pizzaballa) aconteceram as grandes restaurações de 2009, por meio das quais foi possível renovar todos os quartos (que foram completamente refeitos e adaptados com aparelhos médicos), ampliar os banheiros, a cozinha, o refeitório, mas também equipar dois quartos para terapia intensiva e preparar as salas para o médico e para a farmácia”.

A enfermaria hoje

Hoje a enfermaria acolhe no total 8 freis idosos, provenientes de todas as partes da Terra Santa: aqui é sempre presente, 24 horas, uma equipe médica de enfermeiros especializados, graças a a um contrato com o hospital São José de Jerusalém. Na enfermaria prestam serviço, além do mais, duas religiosas da Congregação das Irmãs Franciscanas de Santa Isabel, Irmã Nila e Irmã Jéssica, “valiosíssimas – salienta Fr. Jad – porque dão aquele toque feminino que ajuda tanto os nossos idosos, nas terapias, no refeitório, na preparação da missa, no acompanhamento cotidiano”.

Os espaços da enfermaria são vastos e solares; diariamente se celebra a missa na capela que se abre na parte central do longo corredor, e tem também um capelão encarregado da assistência espiritual dos idoso uma vez ao mês. “A coisa que mais me chamou a atenção ao longo dos anos foi ver como nos momentos de oração alguns freis, mesmo os de mais idade e mais debilitados, voltam a possuir uma grande lucidez. Muitos deles, quando se encontram na capela da enfermaria, encontram conforto e tranquilidade”.

“O serviço aqui, na enfermaria, me transformou - prossegue Fr. Jad - : atenuou os aspectos mais neuróticos do meu caráter. Pouco a pouco compreendi que é preciso apoiar aos idosos com ternura e paciência, e aprendi que muitas vezes os aspectos mais rudes do caráter deles pioram por causa do sofrimento e da doença, mas sobretudo por causa do medo da dor. Os anciãos precisam do seu tempo, e devemos sempre respeitar eu estado de ânimo”.

No corredor, próximo à grande janela que dá para a cidade velha, se encontra um dos hóspedes da enfermaria, padre Carlo Cecchitelli, 86 anos, que foi Custódio da Terra Santa entre 1986 e 1992: “A minha vida – afirma Padre Cecchitelli – foi sempre muito atarefada, com numerosos encargos e responsabilidades: agora, na minha idade, rezo, leio e de vez em quando desço para ver alguns dos irmãos, também os mais jovens da comunidade, aos quais me sinto também estreitamente unido. Estou acostumado a estar entre os jovens, visto que fui por 15 anos reitor do seminário internacional em Roma, em Casalotti, na Via Boccea e depois, entre outras coisas, mestre de noviços e promotor vocacional”.

Fr. Jad nos recorda, por fim, que os mais jovens são sempre convidados a sair e encontrar os idosos da comunidade, partilhando um pouco do tempo com estes freis que representam um tesouro dentro da Custódia, pela sua riqueza de experiência, de vida humana e espiritual, de relação com o Senhor.