O ingresso solene do Custódio da Terra Santa em Belém e o início do Advento

Fr. Francesco Patton, Custos of the Holy Land, lights the first candle at the Grotto of Bethlehem
Fr. Francesco Patton, Custos of the Holy Land, lights the first candle at the Grotto of Bethlehem

O ingresso solene do Custódio da Terra Santa, fr. Francesco Patton em Belém e as primeiras vésperas do primeiro domingo do Advento na igreja de Santa Catarina, deram início ao tempo de espera do Natal na terra de Jesus.

As celebrações começaram na manhã de 26 de novembro, onde no divã do convento de são Salvador em Jerusalém, fr. Patton se encontrou com os representantes da paróquia latina e o vice pároco, fr. Louis Khoury, fazendo as tradicionais saudações com o Moukhtar, a pessoa escolhida como representante de toda a comunidade.

No trajeto para Belém o Custódio da Terra Santa recebeu as saudações da comunidade cristã de Beit Jala diante do mosteiro greco-ortodoxo de Mar Elias: daqui o cortejo continuou a sua viagem até a Basílica da Natividade, passando pelo checkpoint da Tumba de Raquel, aberto em cada ano especialmente para esta ocasião.

Na Praça da Manjedoura uma multidão em festa de escoteiros e rapazes das escolas da Terra Santa presentearam aos peregrinos e aos fiéis reunidos um momento de espera verdadeiramente alegre, animado de músicas com tambores e gaitas, que resultou em grande entusiasmo quando o Custódio, depois de percorrer a tradicional Via da Estrela, finalmente chegou na praça acompanhado pelo vigário fr. Ibrahim Faltas. As autoridades civis de Belém acompanharam então fr. Patton até a entrada da Basílica, onde era esperado pelos representantes das outras igrejas cristãs (greco-ortodoxa e armena). No umbral da igreja de Santa Catarina, o esperava o guardião do convento franciscano de Belém fr. Enrique Segovia: após vestir a sobrepeliz e a estola, fr. Francesco Patton venerou a relíquia do Sagrado berço do menino Jesus doada à Custódia da Terra Santa pelo Papa Francisco em 2019.

“Estamos ao início do advento, que nos introduz ao encontro mais importante da nossa vida, que é o encontro com o Senhor, o Filho de Deus, que justamente aqui se tornou um de nós – destacou fr. Francesco. – é este o fundamento da fraternidade humana, que desejamos viver em profundidade. Ontem era a festa de Santa Catarina, padroeira desta paróquia, que nos recorda que o amor de Jesus é o centro de nossa existência, e é a motivação para dar a nossa vida pelos demais, como fez Santa Catarina. Desejo e todos vocês de poder viver este tempo de Advento como um tempo onde cada um possa se preparar para dizer a Jesus ‘para mim és verdadeiramente importante e eu te acolho em minha vida’”.

Com a celebração das primeiras vésperas de domingo, deu-se início oficialmente ao tempo do Advento e segui-se depois a procissão até a Gruta da Natividade, coração do mistério cristão, o lugar onde Deus se fez homem. Aqui, junto à manjedoura, o Custódio acendeu a primeira vela da coroa do advento.

Domingo 27 de novembro o Custódio da Terra Santa retornou a Belém para presidir, ainda na igreja de Santa Catarina, a missa solene do primeiro domingo do Advento, concelebrada pelo pároco fr. Rami Asakrieh: estavam presentes também as autoridades civis de Belém, o prefeito Anton Salman e o guardião do convento armeno de Belém P. Aspet. A homilia em árabe foi feita pelo vigário paroquial de Belém, fr. Antonios Habib: “três são as características que devemos ter em conta neste tempo de Advento: a espera e o silêncio, a oração, a ajuda ao próximo. As leituras de hoje nos recordam que para viver bem este tempo devemos abandonar o pecado, estar vigilantes e sair das obras das trevas: com o sacramento da confissão podemos recomeçar de novo a acolher o Senhor de maneira mais plena em nossa vida”.

As celebrações deste ano foram seguidas e participadas por vários fiéis e peregrinos, que voltam a ser novamente numerosos em Terra Santa após o período de pandemia. O Custódio dirigiu uma calorosa saudação a um grupo de língua italiana, proveniente de Subiaco. “Me alegra ver tantos peregrinos: me alegra porque podem voltar a reavivar a fé aqui na Terra Santa, e me alegra os nossos cristãos de Belém que podem acolhê-los e oferecer-lhes o seu serviço, de modo a poder viver com dignidade do próprio trabalho. Como Custódio, é bonito ver de novo ser frequentados os lugares da encarnação e da redenção: e particularmente importante neste período de Advento é poder vir aqui em Belém, o lugar onde o Filho de Deus, se torna homem dentro da nossa história”.

Silvia Giuliano