Inaugurada a escola de Terra Santa em Caná da Galileia

Ribbon-cutting moment at the inauguration
Ribbon-cutting moment at the inauguration

Após sete anos de trabalhos, na manhã de terça-feira 22 de novembro em Caná da Galileia foi inaugurada a escola de Terra Santa. Se trata da edificação de uma escola científica superior que será administrada pelos franciscanos da Custódia da Terra Santa.

O vilarejo de Caná, em árabe “KafrKanna” é célebre por ser o lugar do primeiro milagre de Jesus, narrado nos Evangelhos (João 2, 1-11). Hoje a maior parte de sua população é árabe, mesmo sendo localizada em Israel, conta com aproximadamente 3000 famílias cristãs, das quais 1700 de rito latino, e abriga um santuário cuidado pelos freis da Custódia desde 1641.

A estrutura da escola se apresenta como um edifício de três andares, articulado em duas partes, que abriga um salão para atividades esportivas, um teatro, espaço paroquial para atividades pastorais e, naturalmente, salas de aula e laboratórios.

A inauguração desta estrutura aconteceu sete anos após ser colocada a primeira pedra. Os trabalhos nos últimos anos foram interrompidos duas vezes, em 2017 e 2020, para depois recomeçar sem pausa até os nossos dias. A lentidão na execução das obras, causado pelo impedimento representado pela propagação da pandemia, deveu-se também à dificuldade de obtenção de fundos. A definitiva realização da escola foi possível graças ao providencial recurso de duas fontes de financiamento: a coleta de sexta-feira santa, à qual participam os cristãos do mundo inteiro, e a preciosa contribuição do governo da Hungria, no âmbito do seu programa de ajuda em prol das minorias cristãs.

Cerimônia de inauguração da estrutura

Na cerimônia de inauguração estavam presentes o Custódio da Terra Santa, Fr. Francesco Patton e o Secretário de Estado da Hungria no âmbito do programa de ajudo das minorias cristãs, Sr. Tristan Azbej; além destes, estavam presentes também o vigário da Custódia, Fr. Ibrahim Faltas, o ecônomo da Custódia, Fr. Tony Choukry, o pároco da igreja latina de Caná, Fr. HaitamFransoYaldaHano e o bispo de rito greco-melquita Yusef Matah. D parte do Patriarcado latino estavam presentes o bispo auxiliar, já vigário patriarcal de Nazaré, D. Rafic Nahara, enquanto que os representantes das instituições locais que tomaram parte no evento foram Ezdin Amara, responsável pelo Conselho local.

A cerimônia foi aberta no teatro da escola e foi animada pelo pároco, Fr. Haitam e a franciscana Sra. Renè Moussa, diretora do instituto.

Palavra do Custódio e entrega da medalha Grato Animo

Tomando a palavra, o Padre Custódio saudou em primeiro lugar aos presentes e depois falou da importância da realização desta escola; uma importância que envolve uma comunidade inteira e os jovens que fazem parte desta. Também por meio da escola, de fato, a Custódia da Terra Santa expressa a própria proximidade com a minoria cristã, nos lugares onde esta está desaparecendo. “Graças a Deus e graças à solidariedade de todos os cristãos do mundo, nós hoje podemos abençoar este edifício que estará em operação já a partir do próximo ano escolar e que encheremos de rapazes e de jovens que frequentarão o ciclo secundário, preparando-se em primeiro lugar para a Universidade e depois, para a vida”. Dirigindo-se depois ao funcionário húngaro presente na sala, o Custódio prosseguiu: “A realização desta escola não seria possível sem a ajuda especial vinda da Hungria por meio do seu programa de ajuda pelas minorias cristãs. Desejo, portanto, expressar a gratidão da Custódia da Terra Santa entregando a medalha Grato Animo (do latim “com a alma agradecida”) ao Sr. Tristan Azbej, em sinal de agradecimento”.

Palavra do Secretário de Estado húngaro pela ajuda aos cristãos perseguidos, Tristan Azbej

Depois da cerimônia de entrega da medalha e do pergaminho Grato Animo, o Sr. Tristan Azbej tomou a palavra e agradeceu pela oportunidade. Em seu discurso, o Secretário de Estado reiterou a relevância para a Hungria do suporte às minorias cristãsde todo o mundo, em virtude da forte identidade cristã que historicamente caracteriza o país: “O preâmbulo da nossa nova Carta Fundamental, aprovada em 2011, reconhece expressamente as raízes cristãs da Hungria. A tal propósito, na abertura deste texto se lê: ‘Nós somos orgulhosos do fato que há mil anos atrás nosso rei, Santo Estêvão, fundou o estado da Hungria sobre fundamentos sólidos, e fez do nosso país uma parte da Europa cristã (...) reconhecemos o papel que o cristianismo desenvolveu na conservação de nossa nação’. Justamente por causa desta herança histórica, a hungria se empenha por ajudar os cristãos de todas partes do mundo e em virtude desta vocação decidimos de dar nossa contribuição aqui, no lugar do primeiro milagre de Cristo”.

Corte da fita e bênção do prédio

Ao final do encontro, o Padre Custódio cortou o nastro inaugural e abençoou as dependências da escola. Após uma breve visita ao terraço panorâmico, todos os presentes se reuniram para um almoço fraterno que encerrou as atividades.

 

Filippo De Grazia